Artesanato é usado na ressocialização de detentas na Penitenciária Feminina

Pensando na ressocialização e desenvolvimento de habilidades artesanais, internas da Penitenciária Feminina de Teresina produzem diversos materiais, como bolsas, toalhas, tapetes, panos de prato, porta-retratos, tiaras, laços e caixas de papel.

O crochê, técnica artesanal de se produzir objetos para decoração, é uma das atividades realizadas na unidade. A reeducanda Joana D’arc aprendeu crochê antes de entrar no sistema prisional, e na Penitenciária Feminina foi incentivada a continuar com a prática.

“O crochê está sendo um acolhimento. Não é só um hobby, trabalho de segunda a sexta e daqui eu posso tirar o dinheiro que preciso para comprar minhas coisas e suprir minhas necessidades. É ótimo poder continuar fazendo crochê. E os agentes também são clientes, fazem encomendas para ajudar e nos apoiam”, conta a interna.

Segundo a diretora de Humanização e Reintegração Social da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), Dinah Miranda, atividades que ocupam o tempo das reeducandas são essenciais para a ressocialização delas.

“Quando uma interna faz crochê, ensina as outras e pensa em fazer disso seu trabalho quando sair, é algo valoroso. A Secretaria da Justiça fomenta diversos projetos envolvendo artesanato, artes, literatura, educação, para que elas façam algo no seu dia a dia e não fiquem ociosas”, conclui Dinah.

Related Posts

Next Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Premium Content

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?